23 de novembro de 2005

COMUNICADO! ANNOUNCEMENT! NOUVITÁ!



ATENÇÃO!!!

Advertem-se todos os utilizadores deste blog que tenham a consciência que pensão Rosette é apenas mais um produto meu. O património Rosetteano não se extingue nos bens imobiliários. O mais recente item em distribuição são as imprescindiveís e saborosas "Pantufas da Ró", encontradas nos melhores estabelecimentos comerciais (www.rosetemodas.pt).



Fui eu, Rosete de meu nome (ou Roseta como me chamava o papá) que dei nome à pensão. Foi no ano de 2004 que deixei a casa, após pequena quesália com outro dos moradores, o André. Apesar da complicada relação que tive com este indivíduo, estimava muito a nossa adorada mansão... Todos os seus cantinhos xeirosos ainda hoje me enchem as mucosas de alegria...

Não tenho, portanto, qualquer objecção à existência deste blog, pelo contrário! Fico muito excitada ao ler as novidades da minha antiga casinha! Mas exigo que seja reconhecido que a verdadeira Rosette não é a casa, sou eu!!! Por isso, a partir de hoje, altero o nome do blog para que possam também discutir outros assuntos importantes, como... a importância dos cães detectives, o flagelo dos canis, conselhos para um pelo luzidio e outras coisas do género....


Lambidelas ao piloto,



tão todas Rasgadinhas... sniff






Então ... houve três míudas que ficaram todas rasgadas, a Carina, a Pumpkin e a Ângela. Acabaram os seus cursos e como despedida académica realizou-se esta praseirosa tradição. As raparigas, que estavam naturalmente transtornadas com o momento (agora adultas têm que se preocupar com outras coisas, como o período fértil e coisas assim), foram brutalmente despidas na via pública(umas mais que as outras). Depois correram semi nuas atrás das suas respectivas capas, para simbolicamente ficarem agasalhadas. O pessoal estava muito contente e feliz, havia um barril de cerveja e um litro e meio de vinho tinto. Ninguém teve frio e posteriormente a populaçao repartiu-se entre a noite do parque (com Skin) e as estranhas Noites Longas após vigoroso jantar no Aeminium!

18 de novembro de 2005

Rosette Gore Mansion




Evilness has take place inside our hearts.
Late at night we go out and hunt small animals. Quitely, inside the shadows we come back with all the fury corpses and slaughter them. At dinner we share all the dead meat and warm blood... Some remains we keep, the special ones, small rubby-like paws, chewed bones and dry noses still attached to the face. We keep all of them under our furniture, specially under the beds. Only some special items, like some cat eyes, we keep in the toilet, in a special jar, so that the sweet rotten smell can fill the space as the shower runs! That bright aroma flavoured with hot fresh chet gets to the kitchen in the hot summer and inspire us in our cooking.
Sometimes, some youngsters come by to the Mansion, complaining about our habits and smell. They speak loudly at the door and insist to enter the place. Usually they also get shaky and nervous, sometimes even without colour in their cheeks! The last week, one of those creatures piuked in our rug. After we colect the vomit we didn't have other choice but inviting him to share our meal... Sadly, like the others before, he went off and ran for the door...